El Estado y el Texto / O Estado e o Texto

Imagem
español - Es el texto el enemigo del Estado. ¡No, por supuesto que no! El estado está en función del Texto, el Estado es para sostener el Texto, es por eso que en contrapartida para ayudar a la energía, el Texto debe ser leve, recordemos que estamos hablando de estructuras energéticas, espirituales y mentales, tejiendo sus tramados  en el aire. El Estado es la estructura, los puntos de apoyo, físicos, energéticos y respiratorios en armonía de una forma activa e intuitiva.
Al Estado también se llega por la repetición. Para eso está la partitura, en la que el texto es nada más que una acción física, tal vez el mejor tratado sobre esto sea el capítulo llamado Atletismo Afectivo de "El Teatro y su Doble" de Antonin Artaud.


português - O Texto é o inimigo do Estado? Não, é obvio que não! O Estado está en función do Texto, o Estado é para sustentar o Texto, é por isso que em contrapartida, para ayudar a energia, o texto deve ser leve. Sempre lembremos que estamos falando de estrutur…

EDITORIAL N° 3 A Imensa Minoria

Não existem adultos. É uma mentira a divisão entre adultos e crianças, não se pode dizer que uma pessoa de 86 anos saiba mais que uma de 3 sobre o universo e seu mistérios. Conservamos uma ingenuidade à prova de bombas, continuamos acreditando em contos de fadas, onde há um bem e um mau e um final feliz: a última cartada da justiça.A nossa ingenuidade nos confunde, nos faz acreditar que com uma declaração basta para parar a violência no mundo. As leis são feitas pelos mesmos homens que as quebrantam, são votadas e escritas com a mesma mão que enfia a faca ou divide o pão. A “Lei” que existe nos tribunais e nos juizados, muitas vezes não vale rua afora, onde a “Lei da Vida” é mais poderosa. A Declaração Universal dos Direitos das Crianças, não é tão universal assim. Ela não representa todas as culturas nem todas as idéias e concepções sobre a infância do mundo e também não tem como ser aplicada em todos os casos. Proibir a fome não vai trazer o alimento; proibir a sede não purificará a água; proibir a violência não deterá as balas.A criança que eu fui ficaria muito despontada com o adulto que eu sou. Sim, perdi meu sonho, não sou aquele que algum dia quis ser. O psicólogo me repete que a culpa não é minha; meus amigos me aconselham não me aprofundar tanto, ficar um pouco mais na superfície; a família me lembra que eu era bem melhor quando criança do que agora; meu chefe me acusa de não querer responsabilidades etc. Não existe o advogado que ganhe um juízo sobre meu passado, nem que ressuscite os tempos idos. Não existe a legislação que permita desfazer erros. Tentemos aproveitar esta pouca oportunidade que ainda temos. Tentemos criar um mundo onde a vida seja suficiente para todos e não precisemos mais de leis quebrantadas.
O Tigre
EXPEDIENTE
Editor e Diretor Geral: Germán Milich - O Tigre
Revisão Final e Jornalista Responsável: André Ferraz - O Samurai (DRT 3244)
Projeto Gráfico, Diagramação e Assistente de Revisão: Víktor Waewell
Arquivo e memória: Gyuliana Duarte
Planejamento: Pedro Gondim
Colaboradores para esta edição: André Ferraz, Cidres Lópes, Fábio Dias, Germán Milich e Izabella Marcatti Camisasca Textos Utilizados: Trecho de “O Profeta”, de Khalil Gibran; “Primeiros Desenganos”, de Alejandro Dolina; “A Função da Arte/1” e “Mão de Obra”, de Eduardo Galeano; “Declaração Universal dos Direitos das Crianças”, Unicef; “O Espetáculo para Crianças”, de Pierre Leenhardt.

Comentários

Olá Galera! Adoro a revista A Imensa Minoria. Conheci através do meu amigo Cirdes Lopes. Muito bacana e diferenciado o trabalho de vocês. Continuem assim. Também sou estudante de jornalismo, se precisarem de uma força, estou às ordens. Abraços.

Postagens mais visitadas deste blog

Respeita Januário

Então, o que é essa tal espontaneidade?

Celebração da Fantasia